134º Pão com Manteiga – O desenvolvimento humano, organizacional e social que orienta ações de comunicação interna

 

 

A 1ª edição do Pão com Manteiga 2018, trouxe muita cor para entendermos o conceito da evolução do ser humano em ondas e o que isso significa para a comunicação. Paul Antaki, MBA em Marketing pela Vanderbilt University, especialista em Integral Coaching, ferramenta de desenvolvimento para indivíduos, times e organizações foi nosso consultor.

1

Para entrar no tema, relativamente novo para os profissionais de comunicação, ele nos pediu para citar sentimentos que vivenciamos no trabalho, cuja resposta dos participantes formou a seguinte nuvem de palavras:

IMEDIATISMO, DIVERSIDADE, INCLUSÃO, JULGAMENTO PRECOCE NAS REDES SOCIAIS, CAPITALISMO SOCIAL, SUPERFICIALIDADE, MOBILIDADE, RETENÇÃO, INOVAÇÃO, JULGAMENTO, CULTURA DA VIGILÂNCIA, COLABORAÇÃO, COMPROMETIMENTO

 

A evolução pessoal e social possui uma direção?

Sim, existe direção para evolução, afirmou Paul, definida por diversos níveis através dos quais nossa consciência evolui ao longo da vida. Cada nível de evolução tem aspectos saudáveis e não saudáveis e a passagem de um nível para outro sempre compreende os aprendizados do nível anterior.

A percepção dos níveis faz parte da Teoria Integral, uma metateoria composta de diversas teorias, um mapa formado a partir de outros mapas, que nos ajuda a ter uma nova compreensão do ser humano e da realidade que o circunda. Este mapa é composto de 5 elementos simples e profundos, capazes de nos ajudar de forma holística e sustentável em nosso desenvolvimento pessoal. São eles: os quadrantes, as linhas, os níveis, os estados e os tipos. Estes 5 elementos não são apenas conceitos teóricos, mas aspectos de nossa própria experiência, atributos de nossa consciência. Neste café, Paul nos explicou sobre os níveis de consciência. Os demais elementos você pode pesquisar no sites: http://www.ariraynsford.com.br/teoria-integral.html / http://e-literato.blogspot.com.br/2012/03/teoria-integral-ken-wilber-parte-iv.html ]

 

Como adaptar a comunicação interna à evolução dos indivíduos?

Pois bem. Paul defende que é necessário incorporar ao diagnóstico do perfil de público a se relacionar, uma compreensão ampla da humanidade e do universo pela combinação de contribuições da psicologia, sociologia e espiritualidade em um único sistema. A Teoria Integral abre essa perspectiva e definhe diferentes níveis para a evolução humana, cada um deles identificado por cores. Segundo a Teoria do Espiral da Consciência, nós todos nascemos num primeiro nível que é bem preso ao nosso “Eu Egóico” e vamos evoluindo ao longo da vida no caminho de uma abertura em relação ao “Todo Não Dual”. Em outras palavras, é como se começássemos muito focados em nós mesmos e na nossa subsistência, como um bebezinho que vive em prol de satisfazer as suas necessidades, e ao longo da vida fossemos nos abrindo para os outros e para o mundo até um nível de total iluminação e conexão com o universo:

 

Nível 1: Magenta – tribo

Nível 2: Vermelho, tudo misturado — eu

Nível 3: Âmbar – Nós e eles, o que é certo e o que é errado, dogmatismo ou fanatismo grande, radicalismo — a maioria da sociedade está nesse nível — pré-adolescência – onde há necessidade de estabelecer a ordem por meio de regras.

Nível 4: Laranja – muito comum nas empresas privadas, sociedade complexa, bens de consumo, capitalismo.

Nível 5: Verde. Sensível, introspecção. Julgamento pesado, cuida do planeta, ressonância com mundo tribal, volta às origens, visão romântica e tecnológica. Tudo é verdade, tudo é relativo. Se for ofender ou quebrar, não pode. Propósito. Pertencer é importante. Muito seguro que é correto. Detesta hierarquia.

Nível 6: Azul esverdeado, primeiro nível da segunda camada. Contexto do contexto.

 

Independente de qual seja sua área de atuação profissional, o mapa integral vai sempre lhe fazer ter certeza que você estará olhando a realidade em todos os seus aspectos, de forma bem completa. Por mais difícil que seja o seu desafio, se você tiver um mapa como esse, menores serão suas chances de se perder. O que nos leva a evoluir de um nível ao outro de consciência é a saturação do nível anterior, atingido para atender à nossa necessidade de sobrevivência.

 

Como comunicar melhor e ajudar as pessoas a crescerem na direção ‘certa’ da evolução?

Comece perguntando: Em que nível está a empresa, em que nível as pessoas estão? Quanto mais a gente aumenta a consciência, maior é a inclusão do eu para o outro, para o observador e o contexto. Em contrapartida, quanto mais abre, é mais difícil de lidar com a realidade, afirmou Paul. O que gera o próximo nível é quando o nível abaixo entra em conflito.

 

Hoje o mundo é mais complexo. A consciência geral é a verde. No Brasil predomina a âmbar, com muitas coisas vermelhas. Retomar ao passado e entender de onde viemos, contribui para enxergar o ambiente corporativo. A partir da consciência de qual nível é predominante, desenhar uma estratégia de uniformidade para tentar trazer as pessoas ao mesmo nível da empresa, pelo menos de sua aspiração na missão, Visão, Valores e Propósito.

 

Foi bom saber que não existe como pular níveis, mas acontecem avanços e retornos de níveis, que dependem de variáveis internas e externas, definidas por Paul como contornos. Ter clareza de que estamos em uma transição, ajuda a sair de uma faixa para outra, a negociar, a vivenciar novas realidades. E é nesse ponto que a comunicação provoca transformação: leva o aprendizado pela experiência, pelo storytelling, cria empatia.

 

2

 

Diz aí Paul, como foi para você?