Release 124º PCM Quais são as faces da inovação na comunicação de sua empresa?

Confira o vídeo : 

Abracom, Faculdade Santa Casa e Novelis vieram conhecer a resposta, que contou com o pensamento de Tom Kelley, para quem a inovação tem faces e diferentes identidades. O autor as apresenta por meio de 10 personas entre colaboradores, diretores, contadores de histórias, só para citar algumas, em um de seus quatro livros sobre o assunto: As 10 faces da inovação – Estratégias para turbinar a criatividade.

Nosso consultor convidado, Luiz Santiago, trouxe sua interpretação à obra de Kelley, como inspiração para o 1º Pão com Manteiga de 2017, em comemoração aos 25 anos da KF. Ao descrever o “CAOS” da comunicação, dentro das empresas, aprendemos que C significa a Construção, A, o Aprendizado e O, Organização – grupos de comportamento dentro dos quais se encaixam as 10 personas. Para particularizar ainda mais a sua abordagem, Luiz acrescentou significado ao S, somando à sua análise o verbo Surpreender, que segundo ele é uma alusão ao manifesto da agência, texto de posicionamento redigido pela equipe da KF em comemoração aos 25 anos.
Clique aqui para conhecer.

O CAOS contribui para identificar o que de fato contamina o processo de comunicação interna, portanto, é de responsabilidade e envolve todos os colaboradores. Na Construção, temos muitos elementos de comunicação, como profissionais da área cada vez mais qualificados para cuidar das mensagens e fazer a curadoria do conteúdo. Para inovar, a comunicação interna precisa ser entendida como um processo do negócio, e para isso, precisa ser ativada pelas demais áreas da empresa. Não à toa, proliferam os modelos de envolvimento e de coparticipação.

O diálogo, somado à estrutura de canais internos e a comunicação pelo líder, formam o tripé mais eficiente para se comunicar dentro da empresa. Para Beatriz Araujo, psicóloga e comunicadora, comunicação é relacionamento e demanda uma escuta qualificada, ou seja, entender as necessidades do outro para atendê-lo. “Cabe a nós empoderar o processo de comunicação dentro das organizações e identificar as pessoas que vão colaborar. A auto responsabilização implica em reconhecer o que afeta o outro, e reconhecer a tensão é o primeiro passo, segundo ela.

“Independentemente do ambiente, a comunicação acontecerá onde houver oportunidade de diálogo e necessidade de troca de informação, pois uma empresa é sempre um processo em autoconstrução. Um CNPJ é o conjunto de CPFs”, afirmou Santiago.

“Rasgue o seu plano de comunicação.
Talvez ele não valha absolutamente nada. ”

A provocação feita por Luiz significa rasgar para tirar do papel. Todo planejamento tem importância, mas à medida em que ele é implantado, a dinâmica de sua prática fará com que seja um instrumento vivo, mutável e, portanto, inacabado por essência.

Inovar é também dar um passo atrás. A área de comunicação interna pode e deve evoluir para uma área de facilitação dos relacionamentos dentro das empresas. Por que não? E como em um consultório de psicanálise, tentar responder “O que falta? ” será transformador para revelar o desejo, o sonho.

Luiz Santiago é administrador e jornalista, mestre em Comunicação e especialista em Gestão de Marketing, Comunicação com o Mercado e Marketing Digital. Atualmente é gerente de Comunicação e Marketing da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, instituição de ensino superior que tem como mantenedora a Fundação Arnaldo Vieira de Carvalho. É professor universitário e pesquisador em Tecnologia e Mercado.

luiz.santiago@fcmsantacasasp.edu.br

Veja também as fotos do evento :

Nossa missão na DSM

DSMA DSM é uma multinacional nos setores de Saúde – Nutrição – Materiais, que trouxe para o Brasil o HR Transformation, o conceito global para gestão de pessoas e que implicou e uma campanha de comunicação interna criada pela KF Comunicação.

A agência desenvolveu o conceito e o KV da campanha, além de planejar mensagens chave para todos os públicos impactados com a mudança, segmentando conteúdos dirigidos aos gestores e aos colaboradores.

O tom de inovação, alinhamento com melhores práticas globais e orientações para o uso, deu a base para o desdobramento da campanha, quando ocorreu o lançamento do Portal de Autosserviços.