check-icon

A hora e a vez do compliance nas empresas

A lei anticorrupção chegou para modificar a organização das empresas. Em vigor desde 29 de janeiro, a lei nº 12.846 deve gerar mudanças de comportamento por responsabilizar e punir as empresas envolvidas em atos de corrupção praticados por seus funcionários. E, nesse contexto, entrarão em cena os programas de compliance, com o intuito de estabelecer um código de conduta para ser seguido pelas companhias. De acordo com a norma, os atos de corrupção são caracterizados como prometer, oferecer ou dar vantagem indevida a agente público e fraudar licitação pública ou contrato dela decorrente. A multa pode chegar a 20% do faturamento bruto da companhia ou até R$ 60 milhões. Em caso de reincidência, a empresa pode ser extinta.

A área de comunicação terá papel fundamental nesse processo: funcionários precisarão estar bem informados sobre as novidades e mudanças que acontecerão para que as empresas se adequem à lei, e para que saibam como agir em situações consideradas críticas. Companhias multinacionais já possuíam setor de compliance por causa de normas internacionais, mas, com a nova lei, a tendência é que as equipes sejam fortalecidas.

Essas demandas serão importantes para a comunicação que poderá ampliar a sua atuação estratégica. Campanhas internas, códigos de condutas e relatórios de sustentabilidade são apenas alguns exemplos do que pode ser feito para engajar e fortalecer o tema compliance entre os colaboradores e demais stakeholders. E para traçar a melhor estratégia para aplicar os conceitos na sua empresa, adequando-se à lei anticorrupção, a KF Comunicação pode ser sua parceira. Para mais informações, entre em contato com a gente!

2014-Numbers-Happy-2014-Wallpaper-New-Year-Image2

Ano novo, vida nova

Todos que pensam ou dizem essa expressão, estão em busca de fechar uma etapa vivida e iniciar outra, como se isso bastasse para revigorar os sentidos. De fato, funciona como aspiração, nos enche de esperança. E por isso, o Boletim de janeiro do Núcleo Memória Empresarial inicia 2014 com uma reflexão sobre o rito de se comemorar aniversários: do nascimento das pessoas para o nascimento das empresas. A cada ano, qual o sentido desta celebração?

Como pessoa, não abro mão de celebrar meu aniversário. Como profissional de comunicação e memória empresarial recomendo fortemente que as organizações o façam. Os motivos vão desde a valorização da própria existência até a estratégia de fortalecer relacionamentos. Aproximamo-nos de marcas que têm história pra contar e que nos deixam saber quais foram seus desafios, quem os venceu e quais foram os resultados.

Para o antropólogo e historiador Roberto DaMatta, a sociedade contemporânea, marcada pelo individualismo, busca cada vez mais sentido, identidade e reconhecimento. Como o ritual é uma legitimação pública de um papel assumido, as datas de aniversário são momentos imperdíveis para essa afirmação. Enquanto as rotinas são tomadas como “naturais”, falam de trabalho, dever, obrigação e “da vida como ela é”, os rituais são produzidos e encenados, a partir da devoção, do prazer, do lazer e “da vida como ela deveria ser”. Rituais são situações que abrem parênteses e promovem consciência e reconhecimento, explica ele, como uma colagem entre pessoas e identidades que formam memórias.

Por isto, é hora de planejar o próximo aniversário para cultuar a trajetória de vida. Pense nisso e conte conosco! A KF Comunicação é parceira do Núcleo Memória Empresarial, acesse www.nucleomemoriaempresarial.com.br.